Queimada por mais de 12 horas em Itaperuna é flagrada por câmeras de vigilância

0
403

Uma das câmeras do Clima ao Vivo em Itaperuna, no Noroeste Fluminense, em parceria com a Itanet, registrou um foco de queimada que começou por volta das 19h00 de segunda (01) e durou até a manhã desta terça-feira (02). O vídeo tem imagens até às 07h00 da manhã, mas a fumaça permanece até o fechamento dessa notícia, às 15h00h.

Inteligência artificial (IA) aplicada à detecção de incêndios

Este incêndio foi identificado através de algoritmos de inteligência artificial aplicados às imagens da câmera de monitoramento climático, em uma parceria com uma empresa especializada na detecção de incêndios florestais. Este esforço conjunto busca criar uma nova solução de baixo custo que poderá ser amplamente utilizada na prevenção e identificação de queimadas, auxiliando os setores público e privado na solução deste grande problema e agindo diretamente na preservação do meio ambiente.

Quais os problemas causados pelas queimadas?

Aos poucos, parte do dióxido de carbono (CO2) liberado pelas queimadas volta à superfície na forma de ácido carbônico junto com a chuva, e parte fica em suspensão na atmosfera provocando o efeito estufa que vem causando a elevação das temperaturas do planeta e as mudanças climáticas associadas a ela. A melhor forma de retirar o CO2 da atmosfera é pela fotossíntese realizada pelas árvores, mas são justamente elas que estão sendo queimadas.

O que acontece com a fumaça gerada pela queimada?

Na maioria dos casos, a fumaça fica suspensa nas camadas intermediárias da atmosfera, mas dependendo das condições meteorológicas ela pode chegar à superfície e causar alguns sintomas como irritação nos olhos e dificuldades para respirar.

A umidade do ar pode influenciar a propagação do fogo?

A umidade relativa do ar tem muita influência no combate aos incêndios. Por isso quando está abaixo dos 30%, dificulta fortemente o controle do fogo. O pior período para apagar incêndios é de 10h00 da manhã até 18h00, pois nesses horários o ar está mais seco, por isso a vegetação perde umidade para o ar, que sobe. Já a noite, o orvalho deixa a vegetação mais umidade, facilitando o combate do fogo.

A propagação do fogo em vegetação seca ocorre rapidamente, mas em vegetação verde é mais difícil, pois estão em constante absorção de água do solo, porém em períodos com extrema seca, a umidade do ar baixa pode atingir até esse tipo de vegetação. Em épocas de secas, os índices de umidade do ar baixos são um dos principais fatores para propagação de incêndios florestais. Algumas regiões tem muitos registros devido a esses fatores, sendo o sul do Brasil e áreas do cerrado.

Veja as imagens do Clima ao Vivo que flagraram o momento exato do incêndio

Da Redação do Portal Itaperuna Notícias com informações do Clima ao Vivo